O Ativista da nova era é uma comunidade de homens e mulheres de todas as raças e credos que em primeiro lugar querem melhorar suas vidas.

Badge

Carregando...

Produtos Naturais

Membros

"A CIÊNCIA PARA FICAR RICO"

Para aceder ao livro "A Ciência para Ficar Rico" clique na imagem.

Dê uma oportunidade a si mesmo. Leia o Livro e dê um novo Rumo à sua Vida.

Publicidade!

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Música

Carregando...

Como sair da depressão? O que posso fazer agora para me sentir bem?

Como sair da depressão?

O que posso fazer agora para me sentir bem?

Cada um nos vive de acordo com as suas próprias crenças. Se o que estou a viver não me proporciona bem-estar, preciso mudar as minhas crenças. Mas mudar o quê? E como? Estas perguntas somente têm lugar quando ainda não admitimos que a nossa forma de pensar e de decidir criou a realidade que estamos a viver. É a forma de pensar que decide as escolhas que cada um faz. E cada escolha desencadeia uma consequência.  A vida que vivo neste momento é resultado das escolhas feitas no passado. A forma como escolho agora fazer vai determinar o resultado de amanhã. Assim, é importante começar por decidir agora estar bem apesar da situação aparente.  Decidir assumir a responsabilidade pela situação atual é a condição para se dar o salto quântico dessa realidade.

Não importa se vivemos neste momento em quebra financeira, ou se vivemos a dor da experiência de uma doença crónica. Ser responsável é sintonizarmo-nos com a nossa verdadeira essência universal, entrar no fluxo da vida que é a habilidade natural das soluções perfeitas e criativas, assumindo em consciência o comando e controlo da própria vida. Na verdade, a escolha é um direito assim como a responsabilidade de arcarmos com as consequências.

 É importante não confundir responsabilidade com culpa. A culpa mantem-nos na escravatura da ego-esclerose ou vitimismo, separando-nos da nossa verdadeira dimensão divina. Responsabilizar é assumir as rédeas da nossa vida e a verdadeira dimensão divina herdada à nascença. Ser-se responsável é ser-se livre. É ter a consciência do seu poder de escolha e escolher de forma consciente as reações do mundo em nossa vida. 

Agora ficou claro quanto é importante ter a consciência que tudo é consequência de uma escolha nossa. Mesmo quando afirmamos “Eu não escolhi esta doença”, “Nem tão-pouco viver atascado em dívidas!”... Sabemos que foi escolha nossa dar o poder aos outros de decidirem por nós ou foi escolha nossa tomar a decisão de não decidir nada. 

Às vezes deixamos que a ignorância fale mais alto e queremos nos convencer que é sorte ou azar ou obra do acaso ou ainda ser da vontade de Deus tudo o que nos acontece de mal na nossa vida. Se é verdade que durante muitos séculos, tanto por ignorância como por outros interesses muitos foram os que, em nome de “Jesus”, apregoavam que o vitimismo e o sofrimento era da vontade de Deus para remissão dos pecados.  Embora esse mestre “O Nazareno” tivesse ensinado uma verdade bem diferente, (o reconhecimento da verdade que Deus é a essência de cada ser humano, e, portanto, o seu poder e sabedoria envolve cada homem e mulher deste planeta).

O paradoxo é que em vez de procurarmos verificar a verdade dos factos, preferimos optar por uma atitude conformista ou comodista, alimentando uma postura interna de vítima que nos faz sentirmos-nos coitados. Numa espécie de hipnose psicótica que nos mantém estagnados na inércia perante acontecimentos que consideramos difíceis e sobre os quais não queremos ter nenhum controlo ou responsabilidade. Parece natural que em situações difíceis procurarmos a compreensão e o C.D.M. (coitadinho de mim), em vez de assumirmos a responsabilidade com coragem e determinação.  Embora o activista da nova era, se não estiver bem atento, pode cair no egoísmo de confundir aceitação com comodismo. E perante certos acontecimentos catastróficos, alguns justificam o seu comodismo com frases como: "Deus ou o destino quis assim" ou "Não aconteceu porque não era para ser”, “lavando as mãos como Pilatos”.

A depressão anda de mãos dadas com a ego-esclerose e o vitimismo é uma falsa ilusão dos sentidos.

As ignorâncias infelizmente têm perpetuado o vitimismo. Havendo milhares de organizações de apoio a essa cegueira por todo o mundo, engrossando a cada dia que passa aos milhares o seu caudal.

Onde é que a depressão resulta em vitimismo?

A vitima não é só quem se acomoda ao C.D.M. ou à necessidade de ser maltratada (doença adição), (num artigo sobre vitimismo essa epidemia será esclarecida, de uma forma abrangente. Qualquer explicação fora da visão das várias vertentes pode levar a equívocos devastadores). Também aqueles que preferem revoltar-se e procuram mostrar a verdadeira realidade dos factos são vítimas. Reagir com complacência ou revolta é preservar uma atitude de vítima. É não assumir a responsabilidade pela situação que está a experimentar.  O "vitimismo" é sem dúvida o maior obstáculo ao progresso da humanidade.

Se a tua vida não flui como desejas; se apesar do esforço que despendes não encontras resultados satisfatórios na tua vida, a Saúde Integral pode ser uma solução. O importante é fazeres a pergunta a ti mesmo: O que posso fazer agora para me sentir bem? Escuta a tua voz interior.  Será que queres verdadeiramente responsabilizar-te pela tua vida ou preferes que sejam os outros a escolher por ti?

Aguardo as tuas questões.

Atenção, a palestra é aberta a todos.

António T. Fernandes 

Exibições: 213

Comentar

Você precisa ser um membro de Ativista da Nova Era para adicionar comentários!

Entrar em Ativista da Nova Era

Comentário de APARECIDA SANTOS em 20 dezembro 2016 às 1:16

MUITO BOM ARTIGO.

Comentário de jose gentil cardoso vieira em 9 dezembro 2016 às 0:12

maravilha  Antonio.

© 2018   Criado por Antonio Teixeira Fernandes.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço