O Ativista da nova era é uma comunidade de homens e mulheres de todas as raças e credos que em primeiro lugar querem melhorar suas vidas.

Badge

Carregando...

Produtos Naturais

Membros

"A CIÊNCIA PARA FICAR RICO"

Para aceder ao livro "A Ciência para Ficar Rico" clique na imagem.

Dê uma oportunidade a si mesmo. Leia o Livro e dê um novo Rumo à sua Vida.

Publicidade!

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Música

Carregando...

Blog de Ângela Barnabé (314)

Resistir ao impulso – 218 de 365

resistir ao impulso

Já dei por mim muitas vezes a agir de forma impulsiva, ou melhor, a reagir às situações. No momento, é fácil deixar-me levar por aquilo que parece e responder à “letra” quando me deparo com diversas situações.

Mas a verdade é que essa é a maneira mais difícil de lidar com as situações. Enquanto eu tiver uma consciência limitada é “normal” que o primeiro impulso seja reagir e resistir ao que está a acontecer,…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 16 agosto 2018 às 23:16 — Sem comentários

Quem define as limitações sou eu – 217 de 365

limitações

Olhando para mim mesma, eu sempre me vi como uma pessoa limitada. Carregava comigo diversos aspetos que tinham que ser trabalhados, mas considerava que não havia forma de os libertar.

Sentia-me presa, como se a vida me tivesse dado características e eu não tinha opção de escolher algo diferente. Mas a verdade é que era eu que me escolhia ver dessa maneira.

Existem coisas que são mais “complicadas”…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 16 agosto 2018 às 23:13 — Sem comentários

Falar do que sinto – 216 de 365

falar do que sinto

Apesar de estar a praticar uma nova consciência, muitas vezes ainda sinto coisas que não são coerentes com aquilo que eu quero experienciar.

A minha maneira de lidar com o que sentia era tentar convencer-me mentalmente que aquilo não fazia sentido. Depois entrava num ciclo vicioso e quanto menos queria sentir e pensar sobre aquilo, maior se tornava a sua presença.

A solução é falar do que sinto. Sejam medos,…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 12 agosto 2018 às 23:45 — Sem comentários

A ilusão da manipulação – 215 de 365

manipulação

A manipulação foi uma ferramenta que eu “arranjei” para ter as coisas à minha maneira. Principalmente no que tocava a tentar situações ou fazer com que as que eu queria acontecessem, eu utilizava bastante esta “ferramenta”.

Mas sentia sempre que faltava algo ou que as coisas não soavam bem. Parecia que mesmo tendo as coisas “controladas”, não faziam sentido.

No fundo, eu estava a ir contra a forma como as coisas…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 10 agosto 2018 às 22:38 — Sem comentários

Quando as coisas têm que acontecer – 214 de 365

Quando as coisas têm que acontecer

Uma das coisas que eu venho treinado é não manipular nem tentar controlar nada. Ainda que as coisas pareçam estar a encaminhar-se para algo que eu pense não ser tão bom, tenho tentado não interferir.

É fácil, ao olhar para o meu percurso de vida, ver o quanto o controlar e manipular me levaram a experiências menos agradáveis, quando poderia ter simplesmente ter deixado fluir e maravilhar-me com os resultados.…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 8 agosto 2018 às 23:16 — Sem comentários

Pôr-me em primeiro lugar – 213 de 365

primeiro lugar

Pôr-me em primeiro lugar é algo essencial para que as coisas fluam na minha vida. Não tem  nada a ver com egoísmo (ao contrário do que eu pensava); tem a ver com criar bem-estar em mim mesma para poder criar bem-estar no mundo.

Já partilhei muitas vezes sobre a minha necessidade constante de agradar aos outros para que eles gostassem de mim, mas também existe uma parte de mim que quer ser sempre agradada independentemente do que os…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 7 agosto 2018 às 22:49 — Sem comentários

O processo de aprendizagem – 212 de 365

É fantástico olhar para a minha vida e ver a evolução das coisas. Hoje faço com tanta facilidade coisas que nunca imaginei sequer conseguir fazê-las.

Uma viagem começa com o primeiro passo, como dizem vários mestres que trouxeram a este mundo uma nova visão.

O processo de aprendizagem começa com uma ação. Essa ação desencadeia todo um processo que, na maior parte das vezes, me leva para um sítio que…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 7 agosto 2018 às 12:00 — Sem comentários

A alegria da vida – 211 de 365

alegria da vida

Muitas vezes esqueço-me de sentir alegria pela vida. É algo bastante estúpido tendo em conta que cada momento é um motivo para estar alegre (pelo milagre da vida, por exemplo).

Em criança cada momento era uma alegria. Fosse brincar, fosse até mesmo ajudar nas tarefas de casa; havia brincadeira, havia entusiasmo, havia vontade de viver o novo.

Mas com o tempo fui perdendo essa alegria, que foi…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 6 agosto 2018 às 23:30 — Sem comentários

Plano A – 210 de 365

plano A Eu gosto muito de cozinhar, porque para além de gostar de comer aquilo que faço, aprendo bastantes coisas sobre a vida enquanto estou na cozinha.

Desafiei-me a fazer um bolo que queria fazer há muito tempo, sendo que devido aos vários e diferentes processos e ideias que eu tinha para o construir, pensei que o melhor era fazer um teste e só mais tarde concretizar propriamente o bolo.

Mas, esqueci-me do suposto teste que devia fazer ao…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 6 agosto 2018 às 14:48 — Sem comentários

Tudo faz parte do processo – 209 de 365

tudo faz parte do processo

Já escrevi inúmeras vezes sobre querer fazer as coisas bem à primeira. Com o passar do tempo venho percebendo, não só o quanto isso me impede de fazer coisas que quero, como também isso alimenta a minha tendência para a rigidez.

Por exemplo, quanto mais desempenho determinada tarefa, mais fácil é fazê-lo. Começo a criar métodos de trabalho que me permitem utilizar o meu tempo da melhor forma possível. Mas às vezes o método deixa de fluir…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 2 agosto 2018 às 23:33 — Sem comentários

Sentir-me bem com as minhas decisões – 207 de 365

minhas decisões Sempre me senti facilmente influenciável (apesar de ser bastante teimosa). Talvez pela minha baixa-autoestima e pela constante necessidade de agradar aos outros, deixava que aquilo que os outros pensavam influenciar a maneira como me sentia.

Bastava alguém demonstrar desagrado por alguma decisão que eu tomei ou que ia tomar para eu me sentir insegura relativamente à forma como ia agir.…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 1 agosto 2018 às 22:30 — Sem comentários

As coisas são bem simples – 206 de 365

as coisas são bem simples

Como já escrevi bastantes vezes, eu tenho a tendência para complicar e para criar problemas onde eles não existem.

Aliás, todo o conceito de problemas devia ser eliminado da minha vida porque é a minha mente que cria os problemas e não são as situações em si que que representam complicações.

Já experienciei que é a minha postura que dita o fluxo ou a falta dele na minha vida. Também já experienciei a minha…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 1 agosto 2018 às 16:53 — Sem comentários

A vida é tão curta – 205 de 365

a vida é tão curta

Todos os dias tenho provas de quanto a vida é tão curta. Posso fazer planos, posso tentar viver na certeza do dia de amanhã, mas a verdade é que nunca saberei quanto tempo “irei cá estar” nem durante quanto tempo as coisas que estou a viver.

Sei que desperdicei muito tempo da minha vida preocupada com o que poderia vir a acontecer e que também passei muito tempo a pensar naquilo que poderia ter dito ou feito diferente no…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 1 agosto 2018 às 16:34 — Sem comentários

Formas de estar bem – 204 de 365

Formas de estar bem

Às vezes dou por mim à procura de formas para estar mal. Eu sei que isso não é nada, mas mesmo nada bom para mim, e que é completamente contra o processo da vida, mas é algo que ainda faz parte mim.

E o que é isso de estar à procura de formas para estar mal?

Duvidar, não confiar, não gostar de mim, pré-ocupar-me, controlar, manipular… Tudo isto são fórmulas garantidas para estar mal e perpetuar isso para o futuro. É semear algo…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 31 julho 2018 às 23:31 — Sem comentários

Sair do meu próprio caminho – 203 de 365

sair do meu próprio caminho Cada vez vejo com mais clareza que o maior boicotador do meu sucesso sou eu própria. Isso acontece de muitas maneiras, mas penso que a maior de todas é quando eu me impeço de mudar.

Muitas vezes deixo de fazer coisas porque no passado não as consegui fazer (por medo ou falta de confiança). Carrego comigo a imagem do que fui, sem olhar à volta e perceber que tudo já mudou.

Porque as coisas já mudaram de facto. Não sou a mesma pessoa que era quando…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 29 julho 2018 às 20:22 — 2 Comentários

Seja feita a vontade do todo – 202 de 365

É fácil dizer que quero que seja feita a vontade do todo e que quero que aconteça o que é melhor para todos.Mas a verdade é que, por vezes, ainda quero que seja a minha vontade acima de tudo.

Às vezes, quando essa luz acende na minha mente, observo a perfeição de como as coisas acontecem. Se puser de parte a ideia que eu tenho de como as coisas deviam ( e devem) acontecer, consigo ter noção de como as coisas…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 27 julho 2018 às 22:39 — Sem comentários

Um mundo de possibilidades – 201 de 365

mundo de possibilidades

Para mim a melhor forma de lidar com a vida era pensando em tudo o que podia acontecer. Todas as possibilidades, todas as decisões, reações e ações; tudo tinha que ser pensado e tinha que estar bem definido na minha mente.

Claro que esta vontade de ter tudo bem “claro” e controlado era causado pela falta de confiança na vida. Quanto mais me focava em me precaver para o pior que podia acontecer, mais vezes me deparava com as situações que…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 25 julho 2018 às 23:17 — Sem comentários

Um novo ciclo – 200 de 365

ciclo Sempre temi os princípios, bem como os fins. Os princípios significavam coisas novas e maioritariamente desconhecidas. Os fins significavam o encerrar do conhecido e o largar da zona de conforto.

No fundo, eu tinha medo da vida e do que ela me poderia trazer, pela minha falta de confiança no seu processo e fluxo. Tinha medo de largar o que já conhecia por aquilo que desconhecia, completamente alheia ao facto que esse processo é a essência da…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 24 julho 2018 às 23:22 — Sem comentários

Aprender com as experiências – 199 de 365

experiências

Cada vez que faço alguma coisa, crio a possibilidade de aprender mais. Posso aprender como se faz ou como não se faz. Posso aprender formas mais rápidas e eficientes de realizar alguma tarefa ou posso aprender que tudo tem o seu tempo e que nem sempre o objetivo é a rapidez.

Aprendo com as experiências dos outros: com o seu percurso, as suas histórias e aprendo como os conceitos podem criar uma realidade.

Não…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 23 julho 2018 às 23:34 — Sem comentários

Valorizar aquilo que sou – 198 de 365

Tenho a mania de dizer que sempre tive uma baixa autoestima, mas a verdade é que os problemas nessa área começaram quando entrei na adolescência.

Em criança tinha mais vontade de arriscar do que medo e mais vontade de explorar o desconhecido do que ficar na zona de conforto.

Com o tempo ( e com os conceitos que fui criando), fui perdendo a confiança em mim e deixando de valorizar a pessoa que era. A valorização que eu conhecia de mim mesma era…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 21 julho 2018 às 23:32 — Sem comentários

© 2018   Criado por Antonio Teixeira Fernandes.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço