O Ativista da nova era é uma comunidade de homens e mulheres de todas as raças e credos que em primeiro lugar querem melhorar suas vidas.

Badge

Carregando...

Produtos Naturais

Membros

"A CIÊNCIA PARA FICAR RICO"

Para aceder ao livro "A Ciência para Ficar Rico" clique na imagem.

Dê uma oportunidade a si mesmo. Leia o Livro e dê um novo Rumo à sua Vida.

Publicidade!

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Música

Carregando...

abril 2018 Posts no Blog (29)

Lutar ou fazer a minha parte? – 119 de 365

fazer a minha parte

Quando comecei a tomar consciência da loucura ou da ignorância que movia muitas das minhas ações e que no fundo movia as ações dos outros, fiquei zangada.

Zangada comigo, com o mundo, com o sistema, com  a educação vigente. Comecei a atirar opiniões para todos os lados e a achar que toda a gente tinha que mudar e passar a pensar como eu.

Ficava indignada quando via, por exemplo, fazer a alguma criança algo que me tinha levado a…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 29 abril 2018 às 23:53 — Sem comentários

Decisões para a vida toda – 118 de 365

vida toda

Quando comecei a ver a vida de uma outra maneira, muitas vezes saiu da minha boca: ”Nunca mais faço isto…” ou então “vou fazer isto sempre…”.

Na maior parte as vezes (e se calhar mesmo em todas) acabava por fazer aquilo que eu tinha negado e não fazia mais aquilo que tinha prometido sempre fazer.

Tomava decisões para a vida toda sem sequer pensar na possibilidade de mudança, sem sequer considerar que com o tempo poderia encontrar algo bem melhor para me guiar…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 29 abril 2018 às 23:40 — Sem comentários

Quero algo com significado – 117 de 365

significado

Sempre me foi dito que deveria ir atrás daquilo que me desse bons resultados, independentemente do meio que me levasse até eles. Devia procurar um bom emprego para ter dinheiro, um bom marido para uma relação estável…

A vida era um acumular de conquistas e no final iria ter o tão desejado prémio: a felicidade.

Mas nunca me disseram para ir atrás daquilo que tivesse significado para mim. Aliás, não me mostraram ao significado da vida, o porquê…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 28 abril 2018 às 0:04 — Sem comentários

Viver e usufruir – 116 de 365

viver

Eu sempre gostei muito da minha zona de conforto e sempre fiz de tudo para que as coisas se desenrolassem dentro daquilo que me era conhecido.

Por um lado queria ter tudo sob controlo, mas por outro sempre ansiava por aventura, por ver a vida a acontecer e participar no turbilhão de acontecimentos.

Era rígida naquilo que queria e naquilo que fazia, mas esquecia-me que a vida acontece fora do meu controlo e que é quando largo que sou…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 27 abril 2018 às 18:43 — Sem comentários

O mundo através de outros olhos – 115 de 365

olhos

Fui passear em Lisboa, nas zonas com mais movimento. Antes, só de pensar que provavelmente teria que “enfrentar” uma multidão ou que seria obrigada a interagir com situações fora da minha zona de conforto ficava logo ansiosa e arranjava inúmeros motivos para ficar em casa.

Quanto mais me fechei à vida, mais limitada ficou a minha visão e a forma como via o mundo estava repleta de preconceitos baseados no medo na culpa… Via o mundo através de umas lentes bastante…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 26 abril 2018 às 22:50 — Sem comentários

Entrega e usufrui – 114 de 365

entrega e usufrui Em muitas alturas da minha vida senti-me presa a situações, pessoas e emoções. Para onde quer que eu fosse, havia sempre um elo entre mim e algo tipo de mal estar ou incómodo.

Quando não estava presente essa situação, era quase como se eu forçasse algum tipo de preocupação, para me sentir ocupada.

É complicado viver a vida assim, quando aquilo que me move é o foco no estar mal.

Desde que comecei a escrever as reflexões, tenho estado mais atenta à tendência para…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 25 abril 2018 às 0:07 — Sem comentários

Uma pitada de amor! – 113 de 365

pitada de amor

Já escrevi várias vezes o quanto as minhas experiências culinárias me têm ensinado e o quanto elas têm despertado reflexões.

Nos últimos dias tenho cozinhado mais coisas novas, graças à partilha de experiências com pessoas de outros países e tenho notado uma maior fluidez nos meus atos.

Normalmente, levo a vida muito a sério e noto bastante rigidez na maneira como me comporto e me relaciono com a vida, comigo e com os outros. Essa falta de…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 24 abril 2018 às 23:18 — Sem comentários

Quero as coisas à minha maneira! – 112 de 365

coisas à minha maneira Estão a ver aquelas crianças que fazem birra porque não lhes dão as coisas que elas querem, da maneira que elas querem? É isso que eu sou quando quero as coisas à minha maneira.

Hoje estava a pensar no quão estúpido é forçar e manipular, achando ser eu a dona da verdade.

No meio de uma gama tão ampla de opções e possibilidades que nem nos meus sonhos posso conceber, com uma consciência tão limitada como a minha, como é que eu posso achar que sei o que…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 23 abril 2018 às 0:27 — Sem comentários

Como aprender sem fazer? – 111 de 365

aprender

Eu sempre fui daquelas pessoas que, para dar o primeiro passo, tinha que estudar como fazê-lo e se sentir 100% preparada para colocar ação. O resultado era sempre o mesmo: acabava por nunca fazer nada.

Eu não me sentia preparada porque não confiava na vida e em mim. Pensava e repensava, decidia e voltava a decidir, porque não vivia o presente e estava com medo de falhar.

Já agi apesar do medo e da insegurança e com essa experiência cresci e…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 23 abril 2018 às 0:22 — Sem comentários

Viver de aparências – 110 de 365

aparências

Desde pequena que via as pessoas a viverem de aparências e máscaras. Fingiam gostar umas das outras e depois criticavam-se; escondiam aquilo que sentiam para não mostrarem fraqueza; viviam na ilusão que tudo estava bem.

Passei muitos momentos de medo, insegurança, dúvida e escondia-os para que não percebessem que eu estava a ser “fraca”. Escondi muitas vezes a minha alegria (ou euforia) para que os outros não…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 20 abril 2018 às 23:10 — Sem comentários

Melhorar a cada dia que passa– 109 de 365

melhorar

A única forma de melhorar a cada dia que passa é permitir que a minha consciência se expanda.

Eu cheguei ao ponto em que cheguei, porque me fechei à mudança e me agarrei a verdades, que ao longo do tempo, foram ficando obsoletas.

Quando me fechei numa bolha, impedi que as coisas fluíssem e tudo passou a ser um marasmo.

Queria que as coisas melhorassem, mas não permitia que isso acontecesse. Não havia mudança, como…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 20 abril 2018 às 22:59 — Sem comentários

A ditadura da beleza – 108 de 365

ditadura da beleza

Hoje na visita que fiz ao Bacalhôa Buddha Eden, vi uma escultura que me despertou uma reflexão. Não sei se aquilo em que eu refleti está relacionado com o tema da escultura, mas a verdade é que “mexeu comigo”.

Desde sempre o conceito da beleza foi algo que me incomodou. Por achar que não pertencia ao grupo das consideradas “bonitas”, sentia-me inferior. A forma como me via a mim mesma refletia esse sentimento e por muito que eu tentasse…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 19 abril 2018 às 0:11 — 2 Comentários

O que pode correr mal? – 107 de 365

mal

Não sei o que motivou este meu comportamento, mas a verdade é que durante muito tempo me treinei para pensar no que poderia correr mal.

O meu foco, através desta minha forma de agir, estava sempre no pior que poderia acontecer.

Às vezes aquilo que eu mais temia acontecia e eu pensava em como eu tinha razão em estar preocupada. Outras, quando tudo corria de forma tranquila, nunca me sentia serena, pois estava sempre à espera que algo surgisse e…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 19 abril 2018 às 0:00 — Sem comentários

Ser responsável – 106 de 365

responsável

Durante muito tempo a responsabilidade representava um peso. Quando me foi apresentado o conceito de ser responsável pela minha vida, fiquei assustada.

Por um lado, esse “medo” era causado pelo conceito errado que eu tinha de responsabilidade, mas por outro lado, o maior problema era ficar finalmente com o comando da minha vida nas minhas mãos.

Por muito estranho e até surreal que possa parecer, ser capaz de criar a minha realidade de forma…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 17 abril 2018 às 11:51 — Sem comentários

A vida é repleta de aprendizagens – 105 de 365

aprendizagem

Nos últimos tempos tenho tido a oportunidade de partilhar as minhas aprendizagens, seja neste blog escrevendo os meus artigos, ou de uma forma mais “formal” explicando, por exemplo, como se desenvolve um blog.

Tenho também tido a oportunidade de aprender coisas novas, como pintar a óleo ou a fazer crochet.

A perspectiva de “professora” é interessante porque uma vez que estou numa postura de mais experiência, é fácil ver que…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 17 abril 2018 às 11:34 — Sem comentários

Se não fosse… – 104 de 365

se não fosse

Muitas vezes usei diversas desculpas para fazer ou não fazer algo. Tentava enganar-me de tal forma, que acreditava mesmo que o que me impedia de dar um passo em frente era a dificuldade que eu apresentava.

Por exemplo, sentia-me insegura, principalmente quando falava com pessoas que não conhecia bem. Então, sempre que pensava em dar palestras, em assumir algum serviço que me “obrigasse” a interagir com pessoas ou quando era necessário…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 17 abril 2018 às 0:11 — Sem comentários

O medo de viver – 103 de 365

viver Não me lembro de ter tomado a decisão de deixar de viver e passar a sobreviver apenas, mas a verdade é que isso aconteceu.

Durante algum tempo convenci-me que aquilo que eu fazia por mim era suficiente, que aquele marasmo em que eu vivia era satisfatório.

Mas nunca foi. A vida é para ser vivida e quanto mais me fechava a ela, mais motivos me eram apresentados para que eu me abrisse.

A ansiedade e medo…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 13 abril 2018 às 22:13 — Sem comentários

Focar-me nas soluções – 102 de 365

soluções

Devido àquilo que fui considerando como verdade ao longo da  minha vida, sempre me foquei nos problemas. Ocupava a mente com o que poderia correr mal e com aquilo que eu não queria que acontecesse.

Nunca me sentia a viver o presente, é claro; sentia-me sempre ansiosa e nunca me sentia preparada para resolver algum “problema” que pudesse surgir.

Bastava uma pequena alteração de planos para comprometer a postura de calma que eu muitas vezes…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 13 abril 2018 às 21:59 — Sem comentários

A aceitação permite a mudança – 101 de 365

aceitação permite mudança

Durante muito tempo foquei-me nas minhas limitações. Ocupava a minha mente com os aspetos que não gostava em mim, desesperada para que ocorresse uma mudança.

Só há pouco tempo é que me apercebi que fazia isso, mesmo sabendo que o primeiro passo para mudar é aceitar.

Gostar de mim é sinónimo de aceitar todos os meus traços, mas isso não invalida a mudança.

Hoje vi uma fotografia minha de 2007, quando tinha apenas 11 anos.…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 11 abril 2018 às 22:58 — Sem comentários

O sabor da vida – 100 de 365

sabor <="" p="">

Tenho ficado surpreendida com o sabor das coisas, porque naturalmente é bem diferente do sabor dos alimentos comprados.

Posso dizer que o sabor “real” do pão, por exemplo, será daquele que eu cozi em casa, uma vez que apenas tem os ingredientes que supostamente deveria ter.

Isto despertou-me para uma reflexão.

Durante muito tempo a vida tinha um sabor amargo e injusto. Os “ingredientes” que eu usava não…

Continuar

Adicionado por Ângela Barnabé em 10 abril 2018 às 23:22 — Sem comentários

Arquivos mensais

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

1999

© 2018   Criado por Antonio Teixeira Fernandes.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço